Alecrim

Por Lu Fernandes

Arbusto perene da família das Labiadas, de numerosas folhas estreitas, duras e sempre verdes. Possui um intenso perfume nas folhas e nas flores que são azul-claro.

As folhas são duras, opostas, sésseis, persistêntes e numerosas, com borda enrrolada para dentro ao longo da nervura central.
As flores se apresentam em pequenos cachos na parte final e possuem coloração azul-violeta.
Suas folhas são verdes em cima e brancas na parte inferior.
Toda a planta desprende um odor que se assemelha muito ao do incenso.

Habitat : Cresce nas regiões quentes. Seu nome científico deriva do fato de que suas folhas parecem recobertas de uma poeira branca, como rocio, e porque tem preferência pelas regiões expostas à atmosfera marinha — rosa marinha.

História : Os gregos a denominavam "flor por excelência", e dela se serviam para entretecer suas coroas, com as quais cobriam a cabeça por ocasião de certas festas.Em alguns lugares costuma-se misturar o alecrim com galhos de buxo na cerimónia do benzimento das palmas no Domingo de Ramos. Em Roma figurava, juntamente com o cipreste, no culto aos mortos. É uma planta que desde tempos imemoriais tem sido objeto de muitas lendas. O verdor de suas fiastes com muitas folhas era considerado como um símbolo de imortalidade.

No norte da França dizem que existe o costume de se colocar um ramo de alecrim nas mãos do defunto e depois plantá-lo sobre o seu túmulo.

Muita gente ainda se recorda da canção infantil que dizia: "Eu desci ao jardim para colher alecrim."

O alecrim é uma especiaria amplamente utilizada; A tradição dita que o alecrim apenas crescerá em jardins aonde a mulher é a "chefe da casa." A planta foi usada na medicina tradicional por suas propriedades adstringentes, tónicas, carminativas, antiespas-módicas, emenagogas e diaforéticas. Os extratos e o óleo volátil foram usados para promover o fluxo menstrual, e como abortivos.

 

As propriedades do alecrim são conhecidas desde a mais remota antiguidade. Hipócrates já a recomendava assim como Dioscóride e os médicos árabes. Sua voga foi extraordinária na Idade Média e Renascença. O alcoolato de alecrim tornou-se famoso com o nome de "água da rainha da Hungria" e fez furor na corte de Luís XIV. Era o medicamento preferido de Madame de Sevigné. O remédio teria sido inventado pela rainha Elizabeth (filha de Wladislas Lokietak, rei da Polónia), que nasceu em 1306 e desposou em 1320 Charles-Robert d'Anjou, rei da Hungria, morto em 1381. Esta água curava a gota e a paralisia.

Parte utilizada: folhas, flores, óleo essencial.

 
 

Plantio : Multiplicação: propaga-se por sementes, estaquia e mergulhia (mudas). Cultivo: o plantio deve ser feito em solos secos, leves, porosos, com espaçamento de 0,5m X 1m; Colheita: colhe-se os ramos, o ano todo, podando as plantas mais viçosas. A conservação das folhas faz-se dessecando-as à sombra e em local ventilado, acondicionando-as em vasilhame sem ar. Propaga-se bem em solos secos, pobres e bem drenados. Adapta-se melhor ao clima subtropical. O plantio deve ser feito antes da floração intensa. Prefere locais enssolarados, bem iluminados e sem vento.

 

 

Modo de Conservar : Use as folhas e flores frescas ou secas a à sombra, e em local ventilado. Após a secagem devem ser adicionados em vidros escuros e bem tampados, em ambiente seco e arejado, ao abrigo da luz solar

 

Origem : Regiões do Mediterrâneo e foi introduzido no Brasil pelos colonizadores, que lhê davam lugar de honra na medicação natural e sempre acompanhou os bandeirantes nas suas entradas e bandeiras.

Para que serve o alecrim

 

Dosagem : Combate as dores musculares. Ativa as funções do pâncreas e é anti-convulsivo. Pode ser usado também como inseticida. Para esse fim, mistura-se uma xícara de óleo de alecrim em dois litros do chá de fumo. Bata no liquidificador e aplique, como se faz com um inseticida. Como tempero suas folhas utilizadas para temperar carnes e peixes.

Xarope - para 1/2 litro de xarope adicionar o suco de 4 colheres de folhas e tomar 1 colher de sopa a cada 3 horas.

Infusão - 1 xícara de folhas em 1/2 litros de agua, tomar uma xícara de chá a cada seis horas.

Pó cicatrizante - usa-se as folhas secas reduzidas à pó.

Tintura - 50 gramas de folhas frescas em um litro de álcool, deixe cinco dias em masseração, coar e guardar em um vidro escuro. Dor de cabeça de origem digestiva Em 1 xícara de chá, coloque uma colher de sobremesa de folhas picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara de chá antes ou após as principais refeições. Problemas respiratórios xarope: para 1/2 litro de xarope adicionar o suco de 4 xíc. de cafezinho de folhas frescas, tomar 1 colher de sopa a cada 3 horas.

 

Infusão: 1 xícara de cafezinho de folhas secas em 1/2 litro de água, tomar xícara de chá a cada 6 horas.

 

Tintura: 10 xícara de cafezinho de folhas secas em 1/2 litro de álcool de cereais ou aguardente, tomar 1 colher de chá 3 vezes ao dia em um pouco de água; para a maioria das indicações, inclusive hemorróidas.

 

Pó : as folhas secas reduzidas a pó têm bom efeito cicatrizante.

 

 

Princípios Ativos: Saponinas, flavonóides, nicotinamida, colina, pectina, taninos, rosmaricina, vitamina C, óleo essencial (pineno, canfeno, cineol, borneol, eucaliptol, acetato de isobornila, valerianato de isobornila, cânfora).

 

Toxicologia : Gestantes. Em doses elevadas pode provocar irritações gastrintestinal, nefrite, intoxicação, aborto, irritações na pele. Não é recomendado para prostáticos e pessoas com diarréia. Embora o óleo possa ser usado com segurança como condimento para alimentos e as folhas inteiras são usadas como uma erva fresca e especiaria, a ingestão de grandes quantidades do óleo pode ser induzir a toxicidade. A toxicidade do óleo é caracterizada por uma irritação do estômago e do intestino, por danos aos rins. Embora o óleo de alecrim é irritante à pele de coelhos, geralmente não é considerado ser um agente sensitizante à pele humana. Existem pelo menos 3 relatos de casos de convulsões tóxicas associadas ao alecrim. As cetonas monoterpénicas da planta são potentes convulsantes com propriedades epileptogénicas conhecidas.

Precauções: Afeta o ciclo menstrual.

 

 

Efeitos colaterais: As preparações que contêm o óleo essencial podem causar o eritema, e produtos cosméticos podem causar a dermatite em indivíduos sensíveis. Um exemplo de asma ocupacional causado pelo alecrim foi relatado. Fotossensibilização em uso tópico.

Superdosagem: Embora o óleo possa ser usado com segurança como condimento para alimentos, e as folhas inteiras são usadas como uma erva fresca e especiaria, a ingestão de grandes quantidades do óleo pode ser induzir a toxicidade.

 

 

Aromaterapia :

O alecrim cânforado pode ser usado para melhorar a memória, analgésico e expectorante, o alecrim cineoal e expectorante e analgésico, o alecrim verbenona é usado como anti-stress, descongestionante hepético e em má circulação, o óleo resina do alecrim é um antioxidante e regenerador do fígado.

 

 

Posologia:

As folhas do alecrim, para o tratamento da dispepsia, hipertensão e o reumatismo, em doses de 4 a 6g/dia, como alimento ou em infuso; O óleo essencial   em doses 1ml para banhos; 2g de folhas frescas (1 colher de sobremesa para cada xícara de água) em infuso para uso interno em todas as indicações; Tintura canforada ou óleos para massagens em dores reumáticas e musculares; Como fitocosmético em xampus (shampoos), loções capilares e dentifrícios em concentrações de 3 a 5%.

Por Lu Fernandes:

Luciane Fernandes

Lu Fernandes, como é carinhosamente chamada e conhecida, terapeuta holística, coach espiritual, estudiosa do esoterismo e práticas espirituais, Sacerdotisa na Magia Natural, pertencente ao Grupo de Mestres da Tradição Ser Divino, Facilitadora de Circulo de Mulheres, Mestra em Reiki, Karunya Teramai, na Magia dos Arcanjos e em Harmonização de física e energética das casas, ambientes comerciais e empresariais, utilizando Feng Shui.

Entre seus campos de conhecimentos estão mais de 15 anos de Tarot, Aromaterapia, Numerologia, Baralho cigano, Tarots Terapeuticos, além de Metafísica, Alquimia das Ervas, Cristais, Fitoterapia, Fitoenergética, Cromoterapia, Florais de Bach, Australiano e Radiestesia.​

Dá cursos, faz atendimento presencial e online de Tarot e atendimentos como Terapeuta Holistica restabelecendo a cura fisica e emocional, trazendo sua vida de volta, entrando no caminho da alegria e prosperidade.

Email: terapeutamagica@gmail.com

  • Instagram
  • YouTube
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn

©2020 por Terapeuta Mágica. Orgulhosamente criado com Wix.com