Florais de Bach- A grande viagem ao mundo da floresta

Por Angela Venancio

Tenho como objetivo trazer um pouco de conhecimento e introduzí-lo neste universo tão lindo da cura, através da simplicidade da natureza, segundo o Dr. Edward Bach.

E a fonte para essa transformação encontra-se dentro de cada um de nós, no mundo intuitivo, na alma.

 

Da mente humana se originam as forças que equilibra e restaura estas células do organismo físico; mas quando perturbada, emite raios magnéticos de alto poder destrutivo.

Edward Bach ensinou que para corrigirmos uma dificuldade de nossa personalidade devemos praticar a virtude oposta, Ex: se somos impacientes, que busquemos maneiras de praticar a paciência; se somos agressivos, que procuremos ser gentis e amorosos.

Quando de repente o mundo desaba sobre si mesmo, é que você vai precisar de suprimentos. Quando as coisas vão mal, você com certeza não quer ficar sem nada. Por outro lado, as grandes ameaças à nossa saúde produzidas pela modernidade e pelo progresso atual desafiam a nossa coragem e inteligência no sentido de defender nosso corpo e nosso sistema imunológico das inúmeras agressões ambientais de natureza química e de péssimos hábitos alimentares.

Os Florais de Bach fazem parte ativamente deste século,  do autoconhecimento, da autoestima, da força de vontade, da beleza, da criatividade e da inovação, dentre outros que você certamente irá descobrir EM UMA GRANDE VIAGEM AO MUNDO DA FLORESTA.

 

...

 

Era uma vez 16 viajantes que saíram para uma excursão através de uma floresta.

 

Inicialmente, todos iam bem, porém, depois de ter caminhado durante algum tempo, um dos integrantes do grupo, de nome AGRIMONY, começou a preocupar-se quanto ao fato de estarem ou não, no caminho certo.

 

Depois, já de tarde, tendo mergulhado ainda mais na escuridão, MIMULUS, começou a recear terem perdido a trilha. Quando o sol se pôs, as sombras aumentaram e os ruídos noturnos da floresta começavam a fazer-se ouvir; ROCK ROSE, ficou apavorado e entrou em estado de pânico.

No meio da noite, quando tudo era trevas, GORSE, acabou por perder toda a esperança e disse: 

- "Não seguirei além daqui; continuem vocês; ficarei aqui do modo como estou, até que a morte alivie os meus sofrimentos".

OAK, por outro lado, embora sentindo que todos estavam perdidos e que nunca veriam novamente a luz do sol, disse:

- "Continuarei a lutar até ao fim".  de modo corajoso.

 

SCLERANTHUS, tinha alguma esperança, mas por vezes sentia incerteza e indecisão, esperando primeiro seguir uma trilha e quase ao mesmo tempo, outra. CLEMATIS, continuava a caminhar com dificuldade, quieta e pacientemente, mas - OH ! - bem pouco preocupado no que diz respeito a dar ou não ali o último suspiro ou sair da floresta.

 

GENTIAN, algumas vezes animava bastante o grupo, porém outras vezes, caía em estado de desânimo e depressão. Outros excursionistas nunca tinham medo, a não ser de que os seus companheiros desistissem da excursão e, a seu modo, queriam muito ajudá-los.

                                                                          HEATHER, tinha muita certeza de conhecer o caminho e queria que todos os companheiros a seguissem.

 

                                                                          CHICORY, não se preocupava com o fim da excursão, porém demonstrava muita preocupação no que diz                                                                         respeito a estarem ou não os seus companheiros com dores nos pés, cansados ou com suprimentos                                                                               suficientes para se alimentarem convenientemente.

 

                                                                          CERATO, não tinha confiança nas suas opiniões e queria tentar todos os caminhos para se certificar de que o grupo                                                         não estava errado; o pequeno e dócil CENTAURY, queria tanto tornar mais leve o fardo dos outros que estava                                                                 pronto a carregar os apetrechos de todos. Infelizmente, para o pequeno CENTAURY, ele carregava o fardo dos                                                                 mais aptos a fazê-lo, precisamente os considerados como sendo mais fortes.

 

                                                                          ROCK WATER, muito ansioso para ajudar, desapontava um pouco o grupo porque criticava o que eles estavam a                                                             fazer de errado e, no entanto, ROCK WATER sabia o caminho. VERVAIN, também devia conhecer suficientemente                                                           o caminho, mas, embora estivesse um pouco confuso, fazia um discurso detalhado sobre qual seria a única trilha                                                             que os levaria para fora da floresta.

 

IMPATIENS, também conhecia bem o caminho da casa, tão bem que estava impaciente com os que eram menos rápidos que ele. WATER VIOLET percorrera anteriormente aquele caminho e sabia a trilha certa, no entanto, era um pouco orgulhoso e arrogante, o que os outros não entendiam. WATER VIOLET julgava-os um tanto inferiores.

 

Finalmente, todos chegaram ao fim da floresta.

 

Agora, eles atuam como guias para outros excursionistas, que não fizeram a excursão antes e devido ao fato de saberem que há um caminho que leva até ao final, e saberem que a escuridão da floresta não é outra coisa que não seja a sombra da noite, eles andam como "cavalheiros indómitos", e cada um dos dezesseis excursionistas, ensina a seu próprio modo a lição, dando o exemplo:

 

AGRIMONY dá largas passadas, sem nenhuma preocupação e faz galhofa com tudo.

 

MIMULUS não sabe o que é medo; ROCK ROSE, nos momentos mais difíceis, é a própria imagem da calma, da coragem serena; GORSE, na noite mais negra, fala-lhes acerca das etapas que serão vencidas quando o sol surgir pela manhã.

OAK mantém-se imperturbável durante o mais forte vendaval; SCLERANTHUS caminha com inabalável convicção; os olhos de CLEMATIS estão postos com alegria no fim da viagem; nenhuma dificuldade, nenhum contratempo podem desanimar GENTIAN.

HEATHER aprendeu que cada viajante deve seguir o próprio caminho, e silenciosamente vai à frente, a passadas largas para mostrar que isso pode ser feito. CHICORY, sempre à espera de ajudar, porém apenas quando solicitado, continua tranquilo.

CERATO conhece muito bem as pequenas trilhas que não levam a parte alguma, enquanto CENTAURY tem especial atenção com as pessoas mais fracas, que julgam pesado o fardo que carregam.

ROCK WATER não sabe mais incriminar ninguém, passando o tempo a encorajar os demais. 

VERVAIN não prega mais coisa alguma, porém, silenciosamente aponta o caminho.

IMPATIENS já não sabe o que é pressa, mas atrasa-se entre os retardatários para manter o passo. 

WATER VIOLET, mais como um anjo do que como um homem, passa pelo meio do grupo como um sopro de vento, ou como um raio

glorioso de sol, abençoando todos

Dr. Edward Bach (1934)

( textodo livro THE Story of the travelers)

 

 

...

 

 Podemos dizer que os florais criam uma nova “consciência” para o ser humano, curando sua alma. Enfim, num plano geral podemos resumir que as essências florais nos ajudam em nossa jornada de responsabilidade durante a vida, nos faz perceber que em grande parte a felicidade encontra-se em nos mesmos.

Segundo o Dr. Edward Bach, o o médico do futuro terá como objetivos principais:

Abrir os olhos daquele que sofre;

 

Talvez você comece  a entender os motivos mais profunda, aquele sentimento de

que nasce em seu interior e que você não consegue consiga entender

Quem sabe muitos dos mistérios de sua experiência física sejam resolvidos enquanto

Você  estava lendo este texto e talvez você  entenda claramente que

.

 

na vida de todo ser humano ocorrem certos fenômenos que precisam ser administrados com equilíbrio

visando a própria felicidade. São inevitáveis e se constituem em formadores dos alicerces da personalidade.

Trazem em si lições embutidas que devem ser captadas para

Que se estruturem importantes instrumentos da aquisição da felicidade.

 

 

Cada um deles se constitui numa espécie de arquétipo que atua em reverso favorecendo, de fora para dentro, o surgimento de novas percepções . Impulsionam a busca de superação para a conquista da felicidade.

Para que você alcance a felicidade é preciso aprender a administrar esses eventos. Eles poderão continuar a ocorrer em sua vida independente de seu estado de espírito.

Mesmo que você já se considere feliz. Porém, não serão mais incômodos.

 

Este texto entrego com carinho e imensa alegria uma incrível expectativa dos melhores resultados, que os florais de Bach possa despertar no seu ser.

Por Angela Venâncio

Profunda conhecedora em Quirologia, Astrologia e Terapêuta em Florais de Bach.

Faz atendimento online.

https://www.facebook.com/angela.venancio2

Email: terapeutamagica@gmail.com

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn

©2020 por Terapeuta Mágica. Orgulhosamente criado com Wix.com